A aids ainda não acabo

image

A aids ainda mata — principalmente se o diagnóstico for tardio A evolução no tratamento contra o HIV reduziu sua mortalidade. Mas as consequências da infecção ainda são a principal causa de morte entre seus portadores

Full
Answer

Como é feito o tratamento da AIDS?

O tratamento da AIDS é feito com o uso de antirretrovirais, os quais impedem a multiplicação exagerada do vírus. Esse tratamento não possui a função de matar o vírus, estando relacionado apenas com o retardo da doença e, consequentemente, com o enfraquecimento do sistema imunológico. → A cura realmente foi encontrada?

O que é a AIDS e como o HIV age no organismo humano?

→ O que é a AIDS e como o HIV age no organismo humano? A AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) é uma doença causada pelo retrovírus HIV (sigla utilizada para vírus da imunodeficiência humana) e que tem por principal característica o efeito danoso causado ao sistema imunológico do doente.

Por que uma pessoa já se curou da AIDS após o transplante de medula óssea?

É importante salientar que uma pessoa já se curou da AIDS após a realização de transplante de medula óssea para tentar reverter um quadro de leucemia. O paciente recebeu uma medula de um doador que apresentava uma resistência natural ao vírus. → Como o tema AIDS pode ser abordado no Enem?

Qual a abordagem da comunidade gay em relação ao HIV?

Em seu discurso no NIH em 1984, Fauci já havia notado a abordagem proativa da comunidade gay em relação ao HIV. “A reação dos gays foi extraordinária e encorajadora ao promover a conscientização entre seus membros e irmãos sobre os riscos de certos tipos de contato”, conta ele.

image


Tempo

A diretora-executiva do Programa Conjunto da ONU sobre o HIV/Aids lembrou que a cada minuto uma morte ocorre por causa da doença e que não há tempo a perder.


Novas infecções

Menores de 15 anos representam 5% de todas as pessoas soropositivas, um décimo de novas infecções e 15% das mortes relacionadas à Aids em todo o mundo.


Comentário geral

Texto bom, com alguns deslizes de conteúdo e linguagem, que serão comentados a seguir. De qualquer modo, cumpre as exigências de uma dissertação, introduzindo corretamente o tema, refletindo sobre ele e chegando a uma conclusão.


Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a) A primeira informação é lançada e deixada de lado, mais nada se fala sobre isso no texto. Pelo destaque que recebe, sendo a primeira frase do texto, parece que a morte de duas pessoas famosas é mais importante que a de milhares de pessoas mencionadas mais abaixo.


Desempenho do aluno em cada competência

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012


Anos agonizantes

Em um mundo onde o vírus da covid-19 foi identificado semanas após sua descoberta e vacinas eficazes foram desenvolvidas em meses, é fácil esquecer os anos agonizantes entre o surgimento do HIV e um tratamento eficaz.


Hostilidades

É possível alegar que Fauci também deveria ter alertado sobre a necessidade de realização de exames antes das doações de sangue e de rastreamento de contatos. Em 1984, Marty Keale, pai de um filho hemofílico chamado Stephen, foi convidado a uma reunião em Los Angeles entre representantes da comunidade de hemofílicos e ativistas gays.


Vozes solitárias

Apesar da espera agonizante por um tratamento enquanto milhares de pessoas morriam, hoje Keale ainda acredita que o NIH fez tudo que estava razoavelmente ao seu alcance naqueles primeiros anos.


Thais Renovatto

Recebi o diagnóstico de HIV aos 31 anos. Fui infectada quando parei de usar preservativo com o meu então namorado. Eu confiava nele e nem me passou pela minha cabeça pedir exames. Receber a notícia foi muito chocante. Achava que essa possibilidade estava distante da minha realidade.


Hannis Ferreira

25 anos, convive com HIV desde 2016
É difícil para uma pessoa com 22 anos descobrir que tem HIV. Você está começando a vida, cheio de planos, e sente como se não tivesse mais futuro. Eu não tive educação sexual em casa nem na escola e não sabia nada sobre a doença. Imaginava o HIV como uma realidade distante.


Gabriel Luis

26 anos, usa PrEP e camisinha
Há alguns anos eu tive sífilis e descobri a doença em uma fase mais avançada. Foi péssimo. Se estivesse usando PrEP, certamente teria sido diagnosticado no início, porque fazemos exames e vamos a consultas periódicas. Confesso que eu achei que não fosse mais usar camisinha depois da PrEP, mas foi o contrário.


Fisiopatologia da AIDS

Como todos os vírus, o HIV precisa infectar uma célula para sobreviver e se reproduzir. No ser humano, o HIV infecta as células que apresentam em sua membrana uma molécula denominada CD4, que é um receptor reconhecido pela glicoproteína 120 viral (GP120)


Classificação da Infecção pelo HIV

Grupo I: Infecção aguda. Caracteriza-se por sinais e sintomas transitórios (síndrome mononucleose-símile, rash cutâneo, linfadenopatia, mialgia, alteração neurológica tipo meningismo, febre e mal-estar);


Tratamento da AIDS

Ainda não existe cura para a AIDS, uma vez que não há um tratamento específico capaz de erradicar o vírus do corpo humano. No entanto, já existem várias drogas capazes de retardar a manifestação da doença.

image

Leave a Comment