A assistência estudantil 2019 das escolas federais vai acabar

Quais são as Escolas Técnicas Vinculadas às universidades federais?

III – Centros Federais de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca do Rio de Janeiro (Cefet-RJ) e de Minas Gerais (Cefet-MG); IV – Escolas Técnicas vinculadas às Universidades Federais; e V – Colégio Pedro II.

Qual é o novo perfil dos estudantes?

O novo perfil dos estudantes, se deu principalmente, de acordo com a Andifes, com a Lei de Cotas (Lei 12.711/12), que estabelece que 50% das vagas das universidades federais e das instituições federais de ensino técnico de nível médio devem ser reservadas a estudantes de escolas públicas.

Como é demonstrada a evasão estudantil?

A evasão estudantil pode ser demonstrada de várias formas, que vão desde a simples contagem das matrículas realizadas até auditorias de órgãos de controle das contas públicas.


RESUMO

Neste artigo, aborda-se o tema da permanência estudantil e considera-se a igualdade de condições para o acesso e a permanência do aluno na escola como um dos princípios constitucionais para garantir o direito à Educação.


1. INTRODUÇÃO

Este trabalho foi elaborado a partir de experiências vivenciadas por um dos autores durante a atuação como docente na Escola Técnica Federal de São Paulo (ETFSP), no período de 1977 a 1996, e no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), a partir de 2013, acumulando a função de coordenador do curso de Eletrotécnica, de 2016 a 2019.


2. ENTENDENDO A EVASÃO PARA PROMOVER A PERMANÊNCIA ESTUDANTIL

A evasão estudantil pode ser demonstrada de várias formas, que vão desde a simples contagem das matrículas realizadas até auditorias de órgãos de controle das contas públicas.


3. A PERMANÊNCIA ESTUDANTIL E SUAS VARIÁVEIS

Permanência estudantil é o ato de o aluno reunir condições de manter-se na escola e concluir seus estudos com êxito. Não estão sendo consideradas como extensão da permanência na escola a modalidade período integral ou os casos de alunos várias vezes retidos e que continuam por mais anos na escola, até finalizar os estudos.


4. QUEM ESTÁ REFLETINDO SOBRE A PERMANÊNCIA ESTUDANTIL NO IFSP

Em pesquisa bibliográfica com as palavras-chave ‘permanência’ e ‘evasão’, realizada pelo sistema Pergamum, da biblioteca do IFSP, no período de 2012 a 2021, foram identificados 13 trabalhos de autoria de servidores e discentes do IFSP (Quadro 3). Desses, oito eram de discentes (62%).


5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

O objetivo deste trabalho foi conhecer textos produzidos por autores que mantêm vínculos com o IFSP e que abordam ações de permanência estudantil de alunos no Instituto como meio de reduzir a evasão.


REFERÊNCIAS

ALMEIDA, Francisco Antonio de. A evasão escolar em uma unidade do IFSP no curso técnico em informática integrado na visão dos discentes evadidos: um estudo de caso da parceria IFSP e SEE-SP. Orientador: Prof. Dr. Darwin Ianuskiewtz. 2017, 161p.


Digital

A carteira estudantil digital será para alunos da educação básica, tecnológica e superior, e estará disponível para smartphones, no Google Play e Apple Store. O presidente já havia anunciado, na última terça-feira (3/9), que lançaria o novo formato de documento.


Manifestações

A UNE é uma das organizações que tem convocado os estudantes a irem às ruas a favor da Amazônia e da educação no sábado (7/9). Eles pedem que os alunos se vistam de preto em protesto.


Nota da UNE, UBES e ANPG sobre ID estudantil

1 – A criação de uma carteira estudantil pelo Governo Bolsonaro é uma iniciativa demagógica que visa tirar a atenção dos reais problemas da educação e da ciência brasileira. É ainda uma ação autoritária que tem como objetivo retaliar e enfraquecer as entidades estudantis, diante da luta que os estudantes têm realizado contra os cortes na educação.


Lei de Cotas

O novo perfil dos estudantes, se deu principalmente, de acordo com a Andifes, com a Lei de Cotas (Lei 12.711/12), que estabelece que 50% das vagas das universidades federais e das instituições federais de ensino técnico de nível médio devem ser reservadas a estudantes de escolas públicas.


Pesquisa

A pesquisa foi feita em 63 universidades federais nas cinco regiões do país e em dois centros federais de Educação Tecnológica (Cefets), em Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Os dados foram coletados entre fevereiro a junho de 2018.

Leave a Comment