Como interpolar açao do vento

Qual a importância da ação do vento?

Mesmo naquelas de menor porte, em que o vento não tem um efeito preponderante, devemos considerar de modo a respeitar as exigências normativas. É importante observar que a ação do vento, além do efeitos de primeira ordem, geram deslocamentos horizontais, ocasionando efeitos de segunda ordem. Por isso, seu estudo se torna ainda mais relevante.

Qual é a velocidade básica do vento?

Como já comentado na teoria, a velocidade básica do vento é retirada da imagem com as isopletas presente na norma ABNT/NBR: 6123 (1988). Para facilitar acompanhar essa publicação, repetirei aqui as imagens e tabelas utilizadas durante a teoria. = 30 m/s.

Como calcular o valor interpolado?

Encontre o valor interpolado matematicamente. A equação para encontrar o valor interpolado pode ser escrita assim: y = y 1 + ( (x – x 1 )/ (x 2 – x 1) * (y 2 – y 1 )) [2] Substituindo os valor de x, x 1, e x /2 por (37 – 30)/ (40 -30), chegamos a 7/10 ou 0,7.


Como calcular a força do vento?

Essa força tem unidades em newtons e utiliza a fórmula simplificada F = P x A, em que P é a pressão e A é a área superficial. Portanto, quanto maior a área superficial, maior será a força recebida.


Qual a velocidade básica do vento?

De acordo com a NBR-6123, a velocidade básica do vento, Vo, é a velocidade de uma rajada de 3 segundos, excedida em média uma vez em 50 anos, a 10 metros acima do terreno, em campo aberto e plano.


Como a ação do vento?

A AÇÃO DO VENTO NAS EDIFICAÇÕES. O vento exerce pressões e sucções nos edifícios, de forma variada, contínua, intermitente ou repentina causando efeitos indesejáveis, danos materiais de monta e, às vezes, vítimas fatais.


Quando considerar ação do vento?

A ação do vento deve ser considera mesmo nas estruturas mais simples….São elas:Velocidade básica de uma rajada de 3 segundos;Probabilidade de 63% de ser excedida pelo menos uma vez dentro do período de retorno de 50 anos;Altura de 10 m;Terreno plano e sem obstruções.


Como saber se o vento é forte?

8 Vento muito forte ou ventania 62,0 – 74,0 Quebra galhos de árvores., impossibilita andar contra o vento. 9 Vento duro ou ventania fortíssima. 75,0 – 87,0 Produz pequenos danos nas habitações. Arranca telhas e derruba chaminés de barros.


Como avaliar a velocidade do vento?

Para isso são usados os anemômetros, aparelhos parecidos com cata-ventos. Eles são calibrados em túneis de vento para que o número de voltas de suas pás corresponda a uma velocidade específica. Funciona mais ou menos assim: no túnel de vento é criada uma poderosa corrente de ar a uma velocidade fixa.


O que a ação do vento pode provocar?

Ações que o vento provoca Vento a sota-vento: causa sucção no edifício, puxando na direção e sentido do vento. Vento com pressão interna: produz pressão empurrando o prédio na direção e sentido do vento, mas também na direção perpendicular ao vento.


Como ocorre a ação dos ventos sobre o relevo?

Ação dos ventos Em grande parte dos casos, o vento modifica o relevo em regiões litorâneas e também desérticas. Ambas são áreas de concentração de areia, desse modo, o vento sopra deslocando-a de um lugar para outro. Tal fenômeno é responsável pela formação das dunas.


O que o vento deposita no mesmo lugar?

Esses fragmentos, chamados sedimentos, são depositados em outros locais, onde, com a passar de muito tempo, poderão dar origem a novas rochas, do tipo sedimentar. O intemperismo e a erosão são as fases iniciais desse grande processo geológico.


Como podemos definir o que são os ventos?

O vento é o ar em movimento. Ele é um importante fenômeno meteorológico. O vento é um fenômeno meteorológico formado pelo movimento do ar na atmosfera. O vento é gerado através de fenômenos naturais como, por exemplo, os movimentos de rotação e translação do Planeta Terra.


Como o ser humano pode usar o vento?

O homem sempre utilizou o vento para conseguir melhorar seus empreendimentos. Um dos maiores exemplos é a impulsão de navios a velas. Atualmente o vento é intensamente utilizado para geração de energia elétrica, de forma limpa e sustentável.


Qual é a força geradora dos ventos?

A força de gradiente de pressão é a principal causa dos ventos. Surge como resultado da diferença de pressão atmosférica de uma região para outra: o ar em regiões onde a pressão é mais alta flue para regiões onde a pressão é mais baixa.


Passos

Identifique o valor para o qual você deseja encontrar um valor correspondente. A interpolação pode ser usada para muitas coisas, tais como encontrar um logaritmo, valor de função trigonométrica, pressão de gás correspondente ou volume para uma determinada temperatura em química.


Dicas

Se você é bom em estimar distâncias em gráficos, você pode fazer interpolação por cima olhando a posição de um ponto em relação ao eixo x para determinar o valor de y correspondente.


Sobre este guia wikiHow

O wikiHow é uma “wiki”; ou seja, muitos de nossos artigos são escritos em parceria com várias pessoas. Para criar este artigo, autores voluntários trabalharam para editá-lo e melhorá-lo desde seu início. Este artigo foi visualizado 188 436 vezes.


Considerações iniciais

Devido ao caráter aleatório do vento, é necessário considerar diversas direções de atuação a fim de obter a situação mais desfavorável para a estrutura. As formulações aqui utilizadas foram retiradas da norma ABNT/NBR: 6123 (1988): Forças devidas ao vento em edificações.


Velocidade básica do vento

Com o objetivo de uniformizar a obtenção do vento em todo o país, surge o conceito de velocidade básica do vento. Essa velocidade é basicamente aquela obtida em todo o país de acordo com várias condições de anotação e estatística. São elas:


Velocidade característica do vento

Agora que já conhecemos o conceito de velocidade básica do vento, vamos aprender o significado de velocidade característica do vento. A ideia é basicamente adaptar a velocidade básica do vento para a sua edificação, variando com as dimensões e finalidade da edificação e a rugosidade do terreno.


Pressão de obstrução

A partir da velocidade característica do vento, podemos calcular a pressão dinâmica
q v e n t o
\mathrm {q_ {vento}} qvento

em
N / m 2
\mathrm {N / m^2} N/m2, a partir da aplicação do teorema de Bernoulli:


Recado final

Ao final desse post você aprendeu como obter a pressão dinâmica do vento a partir da região do Brasil e características do terreno e da edificação. Dessa forma, essa publicação é uma base para uma sequência de conteúdos futuros sobre ação do vento em estruturas.


Apresentação do problema

Nesse exercício, vamos considerar a construção de uma edifício residencial, localizado no estado do Piauí, com dimensões em planta de 20 m por 30m e 18 m de altura, conforme ilustra a figura abaixo.


Velocidade básica do vento

Como já comentado na teoria, a velocidade básica do vento é retirada da imagem com as isopletas presente na norma ABNT/NBR: 6123 (1988). Para facilitar acompanhar essa publicação, repetirei aqui as imagens e tabelas utilizadas durante a teoria.


Fatores para velocidade característica

Vamos analisar agora os fatores para transformar a velocidade básica (medida em condições iguais em todo o país) para velocidade característica, a fim de adaptar a velocidade básica para a edificação em questão.


Velocidade característica

Agora que já encontramos a velocidade básica do vento e todos os fatores, podemos obter agora a velocidade característica. Uma vez que calculamos o fator
S 2
\mathrm {S_2} S2

para cada nível de laje, faremos o mesmo com a velocidade característica do vento. Utilizaremos a seguinte formulação para o cálculo da velocidade característica:


Pressão dinâmica do vento

Por fim, utilizaremos a velocidade característica a cada nível para obtermos a pressão dinâmica atuante em também em cada pavimento. Basta aplicarmos a formulação obtida com o teorema de Bernoulli:


Recado final

Ao final desse post você calculou, na prática, a pressão dinâmica do vento em diversos pavimentos de um edifício residencial localizado no Piauí. O próximo passo é transformarmos essa pressão dinâmica em uma força estática a ser aplicada em nosso modelo estrutural.

Leave a Comment