Por que uma açao deve ser pela razao segundo kant

image

Para Kant, a vontade boa é aquela que quer aquilo que deve. Ou seja, a boa vontade orientada pela razão está de acordo com o dever e quer o bem. A Razão compreende o que é o dever e o ser humano pode escolher agir em de acordo com esse dever ou não.

Full
Answer

Quais foram os principais problemas de Kant?

Para entender sua ética, é importante considerar um dos problemas para o qual Kant procura oferecer uma resposta, o que nos leva ao século XVIII. Esse foi um período de contestação de formas tradicionais de pensamento. As monarquias na Europa foram postas em cheque com a Revolução Francesa e Americana.

Qual é a doutrina moral de Kant?

A doutrina moral de Kant é independente de qualquer sentido religioso. Sua moral exclui a noção de intenção como elemento de uma alma pura, e o dever não é uma obrigação a ser seguida em virtude de um ente superior.

Qual é a ética de Kant?

E essa é a razão porque a ética de Kant é chamada de ética do dever. Fazer a coisa certa é agir com base em regras morais (imperativos categóricos) por que isso é o certo a fazer.

Quais são as principais ideias de Kant?

Para Kant, a Razão não constitui objetos, mas tem uma função reguladora das ações humanas. As principais ideias listadas por Kant são as de Deus, de Alma e de Mundo como totalidade metafísica, isto é, como um todo. Analisemos cada uma delas.

image


O que é a razão para Kant?

A Razão é a faculdade do incondicionado e seu limite para conhecer é o fenômeno. Logo, sem função na área do conhecimento, a Razão pensa objetos, ainda que não possam ser conhecidos. Para Kant, a Razão não constitui objetos, mas tem uma função reguladora das ações humanas.


Por que a moral de Kant é considerada uma moral do dever?

Em Kant o dever é a necessidade de uma ação por respeito à lei. E uma ação por dever elimina todas as inclinações (todo o objeto da vontade), e, portanto, só resta à vontade obedecer à lei prática (baseada na máxima universal), pois trata-se de um princípio que está ligado à vontade.


O que o filósofo Kant defendia?

Kant fundou uma nova teoria do conhecimento, chamada idealismo transcendental, e a sua filosofia, como um todo, fundou o criticismo, corrente crítica do saber filosófico que visava, como queria Kant, a delimitar os limites do conhecimento humano.


O que a ética kantiana afirma?

A ética de Kant fundamenta-se única e exclusivamente na Razão, as regras são estabelecidas de dentro para fora a partir da razão humana e sua capacidade de criar regras para sua própria conduta. Isso garante a laicidade, independência da religião, e a autonomia, independência de normas e leis, da moral kantiana.


O que significa agir moralmente para Kant?

É a esta lei básica da razão que Kant chama o imperativo categórico. Agir moralmente significa, portanto, agir com a intenção de respeitar este princípio geral.


Qual o máximo moral exprime a dignidade na ética kantiana?

De acordo com Kant (1995:71-72), “quando uma coisa tem um preço, pode pôr-se em vez dela qualquer outra equivalente; mas quando uma coisa está acima de todo o preço e, portanto, não permite equivalente, então tem ela dignidade”.


Quais as principais ideias de Kant?

Principais Ideias de Kant Kant revela que o espírito ou razão, modela e coordena as sensações, das quais as impressões dos sentidos externos são apenas matéria prima para o conhecimento. O julgamento estético e teleológico unem nossos julgamentos morais e empíricos, de modo à unificar o seu sistema.


Qual era a visão de Kant?

Kant trabalha bastante sobre o que é a vontade, o arbítrio, e o conceito de liberdade, que permeia os princípios das capacidades e determinações que orientam a ação humana de acordo com a razão, para ele essa é uma ideia de legalidade e essas são as leis morais, e como tal são diversas de leis físicas ou naturais.


Que tipo de ética foi desenvolvida por Kant?

A ética kantiana, por se basear no dever, é chamada ética deontológica (deon significa “dever” em grego). Kant acreditava na autonomia da razão e que os seres são plenamente capazes de agir racionalmente, motivados pelo dever, ou seja, sabem racionalmente o que devem fazer.


Quais são as três máximas morais de Kant?

São elas: Lei Universal: “Aja como se a máxima de tua ação devesse tornar-se, através da tua vontade, uma lei universal.” Variante: “Age como se a máxima da tua ação fosse para ser transformada, através da tua vontade, em uma lei universal da natureza.”


Como agir eticamente segundo Kant?

Uma ação só pode ser considerada moral quando seu resultado vier do esforço em superar-se a si mesmo. Trata-se de uma questão de dever, ou seja, é dever do ser humano agir moralmente, faz parte de sua natureza.


Moral Cristã e a Moral Kantiana

Kant foi largamente influenciado pelos ideais do Iluminismo, fundamentalmente laico. O Iluminismo rompeu com toda o conhecimento baseado na autoridade. O pensamento deveria ser uma faculdade autônoma e livre das amarras impostas pela religião, sobretudo, pelo pensamento da Igreja Medieval.


O Imperativo Categórico de Kant

O filósofo buscou estabelecer uma fórmula moral para a resolução das questões relativas à ação. O Imperativo Categórico, ao longo das obras de Kant, aparece formulado de três maneiras diferentes.


Ética de Kant e a Deontologia

A deontologia kantiana se opõe à tradição ética, teleológica. Nela, racionalmente chega-se a conclusão de que o dever é entendido como a finalidade da própria ação, rompendo com a tradição teleológica da ética, que julga as ações de acordo com sua finalidade (em grego, telos ).


A Mentira como Problema Ético

Segundo a ética kantiana, a Razão mostra, por exemplo, que mentir não é justo. A mentira não pode ser tomada como uma lei. Em um mundo onde todos mentissem tenderia ao caos e não seria possível determinar a verdade.


A razão define o que é certo

Kant acreditava que a razão humana pode definir o que é certo ou errado. Por isso defende a existência de uma ética universal. Aqui uma comparação com a física também é pertinente. Essa disciplina é capaz de encontrar leis universais da natureza. A atração gravitacional é um exemplo. Tais leis são válidas em qualquer lugar e tempo.


Como a razão comanda as ações: imperativo categórico e hipotético

Kant discorda dessa compreensão da razão humana. Ele afirma que podemos agir de duas formas. Nos orientando por imperativos hipotéticos ou imperativos categóricos.


Dever e inclinação

Até então temos o seguinte quadro da ética de Kant. Podemos agir com base em nossos desejos (ele chama isso de inclinações) ou com base na razão. O primeiro caso ocorre quando fazemos algo porque desejamos; o segundo, quando é nosso dever moral fazer. Em resumo, podemos agir com base no dever ou com base na inclinação.


Resumo

A ética de Kant é bastante complexa, pois combina uma série de conceitos que se relacionam entre si. Esse resumo retoma e conecta algumas dessas ideias:

image


Moral Cristã E A Moral Kantiana

Image
Kant foi largamente influenciado pelos ideais do Iluminismo, fundamentalmente laico. O Iluminismo rompeu com toda o conhecimento baseado na autoridade. O pensamento deveria ser uma faculdade autônoma e livre das amarras impostas pela religião, sobretudo, pelo pensamento da Igreja Medieval. Kant reforça essa i…

See more on todamateria.com.br


O Imperativo categórico de Kant

  • O filósofo buscou estabelecer uma fórmula moral para a resolução das questões relativas à ação. O Imperativo Categórico, ao longo das obras de Kant, aparece formulado de três maneiras diferentes. Cada uma das três formulações se complementam e formam o eixo central da moral kantiana. Nela, as ações devem ser orientadas pela razão, sempre saindo do particular, da ação …

See more on todamateria.com.br


A Ação por Dever

  • Para Kant, a vontade boa é aquela que quer aquilo que deve. Ou seja, a boa vontade orientada pela razão está de acordo com o dever e quer o bem. A Razão compreende o que é o dever e o ser humano pode escolher agir em de acordo com esse dever ou não. Entretanto, a ação moral será sempre a ação por dever. Sendo assim, a ação deve ser compreendida com…

See more on todamateria.com.br


Ética de Kant E A Deontologia

  • A deontologia kantiana se opõe à tradição ética, teleológica. Nela, racionalmente chega-se a conclusão de que o dever é entendido como a finalidade da própria ação, rompendo com a tradição teleológica da ética, que julga as ações de acordo com sua finalidade (em grego, telos). A ética teleológica tradicional tem como fundamentação a ideia da finalidade da ação. Para a tr…

See more on todamateria.com.br


A Mentira Como Problema Ético

  • Segundo a ética kantiana, a Razão mostra, por exemplo, que mentir não é justo. A mentira não pode ser tomada como uma lei. Em um mundo onde todos mentissem tenderia ao caos e não seria possível determinar a verdade. E, também, quando se conta uma mentira, o agente não respeita a humanidade em si mesmo, usando um meio injusto para ter algum tipo de benefício. …

See more on todamateria.com.br

Leave a Comment